Silêncio

Confortaria o caos
Não o silêncio
No meio de palavras
bruscas
e violentas
salvam-se todos

O silêncio é anti-matéria
estafa da inércia
putrefação da vontade
implosão da antropologia
caixa-restante perene

No silêncio
tempo e espaço
se encontram
Mudos e cegos

Na beleza do ruído
Tateio o infinito
temerário

Jaz teu vento –
eterno e
imaginário

Afogado
no marasmo silencial

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s