Carta insular

A beleza do abstrato
não está na evitação do real
mas no aproximar da fantasia

O entreposto do sensível e o imaginável
A alegoria da cura
O impulso que origina o palpável
As formas das sombras: claras e escuras
As figuras de nuvem, de neve e de sonho
Os mitos de origem, reis idealizados e seus tronos

O abstrato: uma invenção tardia.
Antes o homem o concebera na loucura

E esta então seria
um diagnóstico precoce:
faltaria-lhe a estrutura,
para ser, não mácula
mas poesia

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s